Claridade

Fim de tarde, escorre água pelo espelho e uma neblina impede que se veja o que eu pretendia olhar. O reflexo no vidro finalmente mostrou a minha imagem, não outro rosto que se parecia com o meu. Andava em círculos sem saber onde era o começo e onde seria o fim. Depois de tanto girar, escapei pela tangente e finalmente fiquei livre. Corria entre labirintos de sentimentos e pessoas e momentos que sempre pensei que fossem reais, mas tinha me enganado. O real é o aqui e o agora, não um futuro que a gente imagina que um dia vai ter. Graças a Deus tudo isso é passado, amém. Leva um tempo pra gente saber o que realmente tem valor na nossa vida, e quem não faz um esforço pro coletivo, talvez mereça estar só; no singular. Tudo depende do fundamento, o bolo na forma, a panela no fogo, igualdades que se complementam sem querer diminuir, apenas aumentar, completar. Sabe aquele negócio de identidade pessoal, paz interior, de bem com a vida e outras expressões do tipo, a vibe é essa. Bem estar espiritual é poucos. Não há travesseiro melhor do que uma consciência tranquila e a sensação de estar no caminho certo (finalmente). Orgulho só se for de mim mesmo, por viver a vida sem jamais pensar e querer ser outro alguém.