Submundo

De repente tudo ao meu redor começou a girar freneticamente, e o tempo pareceu acelerar ali naquele infinito particular. Pressão de todos os lados, meu cérebro parece uma panela de pressão esquecida com o fogo aceso, prestes a explodir. Adentrei no meu próprio calabouço e me esqueci onde ficava a saída. Dia após dia, quanto mais eu avanço, mais o caminho escurece. Sigo com uma pequena vela na mão e algumas outras no bolso. Não sei o que vai acontecer quando todas ceras derreterem. Quando todos caminhos parecem confusos ou errados, tudo o que resta é seguir adiante. Aguardar o dia que no meio de tantas trevas vai aparecer um resquício de luz. Mentalizar que a pior escravidão é aquela onde estamos livres e presos a algo que não sabemos realmente que está ali. Uma tal de Esperança. Tudo que não passa de um desejo, foge do nosso controle. Já viu um pássaro a céu aberto permanecer sempre no mesmo lugar? (…)