Cosmos

Estavam os dois, ele aqui, ela acolá, separados por um cosmos indivisível. Perdidos no espaço. Cada molécula de si anseia pela presença do outro, como dois pólos magnéticos esperando-se que vão galvanizar. Cada um olhando por uma janela, esperando pela estrela cadente do outro pelo campo visual passar. Não podiam estar mais juntos em meio a tanta solidão. Às vezes é tão bom ser só, e ter autonomia de paz, mente e espírito, mas corro, grito e busco confirmação e compreensão, bipolarizado entre perceber que tantos caminhos levam à solidão, e só um me leva até você. O mundo anda tão triste, mas o encanto não se perdeu. O poeta confirmou. E eu compreendi.