Alive

Look outside, it’s been the same everyday. The air that you breath, the rain that you take. The bus that leads you to places. I feel alive, the corpses have emerged from their coffins. I walk, and i dream, and i feel, and i learn and i forget. People give me nauseas, my shoes got wet. Forgot my umbrella. I step on the grass, i take detours from the dog shit. There are so many beggars on the street. And i sleep, and i dream again, and i wake and i keep going. Steady and back to the darkness where everything belongs.

Redemoinho

As vidas e as mentes dos seres humanos não passam de grandes redemoinhos. Não há questão de ser, se não entender e ver para crer. Todo pensamento é um mecanismo em intensa atividade cerebral, igual a uma fábrica de carros que aos poucos troca a força braçal pela inteligência dos robôs. Cada neurônio é uma célula distante que voa com o tempo, e vai pra tão longe. Tantas sintaxes entre a ponta de um e o começo do outro. Milésimos de segundo. O ser humano tenta ter razões que a própria razão desconhece. Ah, o tempo, tudo não passa de um mero gracejo do tempo. Quando percebem que teria dado tempo, já foi tarde demais.

A mente de um ser humano é doentia às vezes, e disso tenho medo. Medo de que o medo seja também um redemoinho.

Blues

Poeira e vidro habitam em tudo. São apenas jovem vagando pela noite. Baby, eu te disse: apaixonar-se é suicídio lento, temeroso. Escuta os passos? É só o amor andando lentamente e saindo de casa. Baby, são só velas vazias e cheias de vento. Vamos embora daqui, hoje a noite não tem luar e nosso lugar é em qualquer lugar. Baby, o mundo é tão grande e ao mesmo tempo tão minúsculo em galáxias distantes. Me disseram que a vida é mais bela com Blues e Whisky. Por que não tomas um copo? – Duas pedras de gelo, por favor. Foi o que ela disse. Cabelo solto, calça de renda e os cabelos negros da cor do céu de outubro. Me olhou com aquela cara perigosa de quem sabe exatamente onde quer chegar. Ela disse: Baby, silêncio quando eu falo, olhe fixamente para mim. Vou hipnotizar você. A vida na cidade é uma festa sem hora pra acabar. Os moribundos estão pelas ruas, os monstros se soltam de dentro de nós. Baby, eu conheço os quatro cantos da cidade, lugares que não deveria e lugares que você não deveria estar. Acende o cigarro e faz careta como quem sabe que é errado mas faz assim mesmo. – Tem um isqueiro pra emprestar? Aquele gesto típico de isqueiro imaginário e um riso frouxo logo em seguida. Blues e Whisky, é tudo que precisamos pra hoje a noite. Baby, só essa noite.

Muros

Caminho pelas ruas desertas da cidade com o coração dividido ao meio. Metade da parte que quer e a outra metade que tem medo de ser atingida novamente. Os dias vem e vão, e nenhum dia parece ser diferente do outro. Como se fossem produtos de longa escala feitos numa fábrica clandestina. A brisa quente à noite e durante o dia, anuncia que um verão não vai tardar a aparecer. O sol escaldante arde a pele, e tenta cicatrizar alguns ferimentos que não saram jamais. O medo já não assusta, mas aterroriza e também faz sorrir. O medo de perder algo que nunca se teve, e que se teve na imaginação por apenas algum momento. Fantasmas de alguém que esteve ali. Os pensamentos vagam como buzinas de carros na avenida. Olhos nos olhos, o barulho já parece distante dali. Toque, segredos e suspiros se misturam como um Manguebeat pernambucano. Meus sonhos de pierrot em degradé. Minhas ideias malucas em Si Bemol. A vida na cidade tem seus trejeitos. Em cada edifício uma tendência surge. Em cada esquina uma ideia morre. Os gatos correm pelos muros, me pergunto o que eles estão fazendo por ali. Visto de cima tudo parece formiguinhas enfileiradas. Visto de longe, tudo parece alcançar o horizonte. Visto de perto, muitas coisas ganham ou perdem o encanto. Viajo com cartas na mão, naipes diferentes e sequências fora de ordem. Passos descompassados que tentam desviar dos buracos. Cada dia tem sido uma viagem só de ida, mas quando chega a noite desejos desejam que o dia possa voltar. E não volta mais. Palavras perdidas ao vento, nem tudo que vai encontra o que deixou.

Contratempo

Passa o tempo e com o passar do tempo vem as lembranças; com a nostalgia vem a vontade de voltar no tempo, mas só em alguns poucos momentos. No livro da vida, bem que poderíamos pular pra parte onde todos nossos problemas se resolvem e todos nossos sonhos se realizam. Mas felicidade, temos que saber, é passo a passo. Dia a dia. Tem que querer, tem que lutar. E também um pouco de sorte. Mas com as duas primeiras características, o universo parece começar a conspirar a favor. Brisa passageira, estímulo psíquico levado pelo vento. Porém tudo isso não basta, se só isso bastasse seria fácil até demais. Tem a falta de tempo, as distâncias que não se medem pelo diálogo, e sim pela falta de interpretação. Todo mundo fala tanto, mas tão pouca gente se entende. Longe para mim é perto. Quem vive perto o suficiente é que só vejo distante. E que continue assim. “O essencial é invisível aos olhos.”

Inércia

Sabe quando você quer parar, mas você simplesmente continua? Tudo te motiva a desistir, mas você segue firme e forte na luta. Quando você passa por tanta coisa ruim e quando acontece outra, você até dá risada. A vida me bateu muito, calejou muito a alma e a mente. As pessoas me disseram que eu não duraria um ano no mundo real; eu digo que elas não durariam uma semana no meu. Não posso (ou não consigo), descrever a sensação de ter que acordar todos os dias, sabendo que todos seus sonhos foram arrancados de você. Ou pior, escaparam de você. Nunca tive sorte no amor, nem com amizades. Erraram muito mais comigo do que errei, mas não guardo ressentimentos de ninguém. O meu caminho é ser só. Antes eu tinha medo do que poderia acontecer, caso eu não conseguisse fazer tudo que eu sempre quis fazer. Hoje, aprendi que os espinhos vem primeiro, para depois a vida te coroar com rosas, ou mais espinhos. O destino realmente brinca com as pessoas. O meu destino é uma página cheia de rabiscos e lacunas levadas pelo vento. Voou pra longe.

Sonhos de Uma Manhã de Outono

Esquecer de viver é só lembrar de sonhar. Nos sonhos, todos os nossos desejos se revelam e se realizam. Ontem à noite eu sonhei que eu era você. Não existe impossível. Tudo o que sempre sonhou leva uma fração de segundo. Riqueza, magia, relacionamentos e fantasias. No subconsciente, nossos sonhos mais malucos buscam inspiração e uma voz. Tudo acaba depois de acordar, ou não. Eu fico aqui sonhando acordado. Se você pode sonhar, você pode realizar. Tudo que precisamos é que alguém acredite nos nossos sonhos. A força de vontade e um pouco de sorte são elementos essenciais e tem que estar na bagagem. Haverão forças negativas e diversas, muitas pessoas desacreditam, desacreditaram e desacreditarão de mim. A linha tênue entre os meus sonhos mais singelos e meus desejos mais honestos. Eu sonho acordado e caio no abismo da realidade. Eu nunca vou desistir dos meus sonhos. Li em algum lugar, que uma pessoa só é digna de viver se ela tiver algo pelo que ela possa morrer. Eu morreria pelos meus sonhos pela simples vontade de torná-los reais. Também para mostrar a essa aura escura que me rodeia que eu sou capaz (não que eu precise provar algo para alguém). Tudo que acredito se resume em instantes. E cada instante é hoje e sempre (nunca mais outra vez). Tudo que sonho depende do momento. O momento não é mais daqui, porém o meu sonho não se perdeu.

Poção

Escrevo para ninguém. Meus textos não são para ninguém além de mim, quando me olho no espelho. Uma auto-crítica, reflexo num espelho côncavo-convexo. As palavras tem mágica. Feito magia e poção. A gente nunca sabe quando o eu deixa de ser nosso e começa a se esconder em outro alguém. Quando não nos pertencemos mais, adentramos num jogo perigoso, onde o jogador principal passa a querer controlar todas as ações, dominar situações. Nos tornamos dependentes, sem perceber. Por essa dependência, as pessoas tendem a se sentirem donas de nós, não buscando contato, o mínimo de afeição. Imaginando que nós, os outros jogadores, obedeceremos às regras deste jogo. Imaginando que nós vamos atrás do que era nosso por direito. Ou o que era para ser. Eu não obedeço à nenhuma regra, e até que me divirto com essa história de saudade de um lado, e desapego do outro. Depois de um tempo, é fácil perceber quando alguém faz questão da nossa comunicação. Quando não, nossas palavras são apenas vozes no vazio, que fazem eco e não trazem nenhuma resposta. Pessoas fingem que não leem, fingem não estar ali, quando o que mais queriam era apenas ter certeza que a nossa presença estava ali. Quando sim, a magia entra em ação novamente, e nos momentos mais inesperados aparecem letras no vento. Surgem com eles as palavras mágicas e também venenosas. ”Senti a tua falta.” ”Por onde você andou?” ”Eu nunca mais te vi por aqui.” Às vezes nem isso, apenas surge o modesto ”olá, tudo certo?” A gente nunca sabe quando essas palavras são ditas com a pureza na alma ou com a perversão da mente. Difícil saber quando estamos ali de fato pelo nosso mérito, ou só estamos tapando o buraco que alguém deixou. A pior distância está presente na presença de duas pessoas. Como já disse e direi outra vez: na distância tudo se fortalece, mas também nela tudo se pode perder e desaparecer para sempre. Às vezes me pergunto onde é que eu erro, e a resposta aparece de súbito: eles não sabem o que dizem, muito menos o que fazem. Alguns sabem exatamente, todos tem seus motivos, mas nem sempre tem razão. O poder de ler mentes cairia bem em mim, como uma meia de lã num inverno rigoroso. Não para manipular o presente e o futuro, mas apenas para economizar minha energia e tempo com gente que não merece um segundo do meu tempo, nem um pingo de atenção. Ainda não inventaram uma poção para isso, entretanto, a mágica já está fluindo por aqui.

Pequim

Qual o valor de uma promessa? O famoso “para sempre” não dura mais que um instante. E o instante sempre passa por aqui. Paixão também sempre passa. Amor passarinho. Voa pra longe sem saber do que está fugindo. Difícil é querer dizer sem saber o que está sentindo. Progredir sabendo que está regredindo. Esconder um sentimento sabendo que está sentindo. Sorrir para o mundo sabendo que ele não está sorrindo. Fingir o riso quando estão rindo. Ver o mundo acabando. Saber que estão te enganando. O amor se comprando. A verdade rareando. A fé se perdendo.

Areia

De repente, tudo começa a fazer o mais completo sentido. A peça que faltava para o quebra cabeça ficar preenchido. Muitos gritos são dados no silêncio de um pensamento. No sono profundo, a verdade aparece-me como um sonho; e ao acordar o pesadelo se repete sem hesitar. Idealizo: dessa vez vai ser diferente. Mas, esqueço que é quase loucura tentar acreditar duas vezes na mesma pessoa. A verdadeira face se revela quando menos se espera. Sob a luz da lua e de frente para o mar. O filme é quase o mesmo, eu sei, mas se assisto de formas diferentes, como é que ele termina quase sempre igual? Mas, filmes são como sentimentos: feitos para acabar. O que é para ser meu, está bem longe de começar a começar.

Do outro lado da rua

Enquanto o vai e vem se repete nas situações, perguntam-me nomes e endereços. Preferências e caprichos. Do outro lado da rua a vida é mais interessante, mas ninguém me faz companhia. Caminho sempre sozinho no meio dos carros e ônibus, e ninguém consegue me ver. O vento bate forte no rosto, e não há ninguém além de mim ali. As luzes do semáforo mudam do verde para o amarelo, e depois para o vermelho. Nesse instante, o caos volta ao normal e alguém finalmente me vê. Olha de relance, buscando respostas para o que eu tento descrever. A resposta é que não há respostas, principalmente quando não se sabe mais qual é a pergunta. Um órgão pulsante apodrece no aquário, conforme o oxigênio vai se esgotando no interior do vidro e o sangue cansado deixa de correr. No meio de passos descompassados, de vez em quando as pessoas falam, mas não se comunicam. Olham-se, mas nunca veem umas às outras. Dizem, sem ter algo a dizer. Escutam, mas raramente compreendem. Concordam, sem entender. Julgam-se, sem conhecer. Despedem-se, sem dizer adeus. Do outro lado da rua, a vida parece ser mais interessante. Vista daqui.

Reinado

Acredito que cada pessoa tem o seu valor, e ao contrário do que muitos imaginam, enxergo que algumas coisas acontecem sim, por acaso. Não há nada que possa ser feito a respeito, pois, como o próprio nome já diz, é acaso. Acredito que cada pessoa leva um pouco da gente, acrescenta um pouco em nós. Se ensina alguma lição,cabe a cada um dizer. Ao contrário do que o digníssimo Caio F. escreveu, penso que às vezes o que é verdadeiro não fica, dá lugar para outra coisa ou alguém ficar. Deixa de estar. Fica o que tiver que ficar. Dá lugar ao que não souber mais nos agregar. Não muito tempo atrás eu pensava que as pessoas não são substituíveis, mas são. Momentos são inesquecíveis, mas podem ser substituídos também, por outros momentos, e outras lembranças. Não pense você que não te substituiriam caso conhecessem alguém mais simpático(a), rico(a), bonito(a), atraente, seja lá qual for o adjetivo. Algumas pessoas fariam isso na primeira oportunidade. Acredito que cada pessoa se aproxima da outra por algo em comum, seja lá o gosto, o interesse, manias, medos, classe social, sei lá. A partir do momento em que as pessoas mudam com o tempo, a similaridade vai se perdendo, e talvez o vínculo e o afeto se percam também. Mudamos o tempo todo, mas nem sempre estamos preparados para a mudança do(a) outro(a). Meio maluco se for parar para pensar, e eu sempre penso em coisas assim. Antes de dormir à noite, numa tarde cinzenta ouvindo Sonic Youth. Em terra de sãos, quem pensa além do visível comum e manjado é rei.

Deserto

“Num deserto de almas também desertas, uma alma especial reconhece de imediato a outra.”

 

 

 

 

Almas não passam de oásis no deserto. Viajantes e andarilhos trafegam sob o sol escaldante, vendendo tecidos, tapetes e especiarias. Cansam de caminhar exaustivamente e param à noite, quando a temperatura fica abaixo de zero e os ventos sopram gélidos. Durante o dia, tempestades de areia, escorpiões, cactos e pequenos insetos aparecem ocasionalmente. Os olhos tardam a ver, quase cegam com o brilho do dia. De repente a visão dos vendedores fica embaçada, uma árvore é avistada e todos se apressam. Seguindo a imagem difusa eles vão em direção à suposta água. Ao chegar lá, uma caravana já estava bebendo da água preciosa. Um cigano se adianta e perguntam quem são os vendedores sedentos e o que procuram em terras tão distantes. O líder dos andarilhos calmamente diz que eles são comerciantes e que nada querem além de um pouco de água para seguirem viagem. Uma mulher misteriosa sai de uma das tendas e revela ao cigano que eles não são apenas comerciantes, e sim sequestradores de almas. O cigano, totalmente surpreso avisa ao resto que eles podem ser mortos e um verdadeiro massacre começa. Logo sacam as espadas e matam uns aos outros, menos uma moça que estava num camelo diferente dos outros. Assustada com o derramamento de sangue, a moça pergunta porque não foi morta como todos seus parceiros do deserto. A outra moça encapuzada logo diz: porque estamos num deserto de almas, e eu logo reconheci a tua alma. O amor emana em ti, diferente dos seus amigos mercenários que só queriam roubar a nossa água e nossas riquezas. A moça montada no camelo, mais assustada ainda, desce do animal e pergunta: mas eu sempre pensei que o amor fosse sinônimo de sofrimento, por que você estão poupando a minha vida, afinal? Porque o amor é um oásis no deserto, juntamente com outras almas, e às vezes em vez de fuga ele se transforma em salvação; junte-se conosco, de todos os desertos, esse é o maior que existe. A moça, sem entender, fez um carinho no camelo, e seguiu o grupo sem entender nada. Um dia ela entenderá.

De São Paulo à Bangladesh

Se falsidade tivesse nome, pra muita gente não precisaria nem de sobrenome, mas tem gente que precisa até de dois; relaaaaxa, quem planta espinho pode crer que não vai colher rosas depois

Pra quem chegou agora eu tô apenas começando, quem não sabe do que tô falando, manda logo a sua crítica, mas só se for rimando

Tem mina que adora uma intriga, se bobear fala mal até das amiga, faz parceria até com as inimiga

Tô ligado que tem várias que falam mal de mim pelas costa, fazer o que se não tem cu pra aguentar as minha resposta.

Pra essas daí só resta dar risada, chega no rolê toda arrumada e sai carregada com a calcinha rasgada

Pior são aquelas que paga de gostosa, minha filha baixa bola que cê tá mais pra mimosa

Ainda tem aquelas que pagam de metida, são chamada de gostosa e responde: não sou comida

Usa calça de número menor enfiada na bunda, faça-me o favor, mina que quase morre pra por um jeans pra mim é tudo vagabunda

Põe uma blusa apertando os peito e quer dar lição do que é respeito, primeiro se dê o respeito

Mina assim tá cheia no rolê, toda produzida e corrompida, só tando lá pra vê

Nego chega no ouvidinho, falando bem devagarzinho, vamo dar um rolê no meu carrinho, ela já fica toda toda, nem perguntou o nome e já vazou, caiu de boca

Infelizmente essa é a realidade, não é só em curitiba, tem em toda a cidade

Depois ainda me chamam de cachorro, sou mesmo, mas só com burguesinha que age igual mina do morro

Não entenda errado, não tô desmerecendo a mulher, no final das conta os homem faz tudo que elas quer, e é isso que elas quer (viiiish)

Hoje em dia quase não creio em amor, só em interesse, quando vi já tava sendo usado sem que eu percebesse

De decepção em decepção a gente vai perdendo o interesse, e eu me pergunto se o sentido do amor é mesmo esse (?)

Fui mexer com coisa delicada, a resposta veio em forma de granada, o que sobra do amor são retalhos, mais nada

Mutualismo

Inventar nossa invenção, respirar sua respiração, apaixonar sua paixão, colorir suas cores, beijar teus beijos, abraçar teus abraços, sorrir seus sorrisos, olhar seus olhos, acalmar sua calma, amar seu amor, transar sua transa, viver nossa vida. Sonhar seus sonhos, sem desistir dos meus.

De todas as formas

de esquecimento, amar-te mais. Como se esquece alguém que tanto se amou? Negar um sentimento só faz com que ele aumente ainda mais. Tentei me manter indiferente, mas a indiferença sufoca e maltrata. Perguntam-me se eu ainda a amo, respondo que não imagino um dia que não a ame; e em cada desencontro eu encontro uma saída, e cada saída é um novo começo. É estranho se acostumar com a falta que o(a) outro(a) faz. Num instante tudo pode se perder quando pouco se tem a ganhar. Depois de perder tudo é que se está pronto para começar a triunfar. De todas as formas, amor é perder, mais do que ganhar.

Guerra Fria

Nessa guerra entre orgulho e saudade, tu sais vencedora nas duas. A saudade aperta no peito, mas o orgulho te recoloca numa trajetória certa. A saudade aperta em mim, mas não tenho orgulho, sigo perdido e sem trajetória. O teu silêncio é um mistério que tento descobrir, e sua voz, distante, me reconforta e ampara. Mal sabes. Agitada, reclamando e argumentando sobre seus direitos. Correta. Algumas coisas nunca mudam, e com você não seria nenhum segredo. Se o homem pisou na lua, foi lançado ao espaço, descobriu água em Marte, como é que eu ainda não tenho seu novo endereço? O silêncio às vezes não comete erros. Nessa guerra, eu aceito perder, e cada dia eu perco de novo; cada dia um pouco mais. Minha mente diz que não, mas meus olhos me entregam. Quanto mais vezes eu perco, mais vezes você ganha, e me ganha. Porque amar, não são borboletas no estômago. Amar é um soco na mente. Amar é saber perder algo para poder viver. Porque amar, é andar no caminho errado mesmo sabendo que ele não leva a lugar algum. 

Retalhos

Estava cá eu pensando no que é a vida com fantasmas travestidos de pessoas ao nosso redor, e como tudo muda sem darmos conta que tudo mudou. Para quem quer que esteja pensando que escrevo sobre eles, esse eu fiz por vocês. São só retalhos que lhes mando, retalhos de amor, de uma parte dos meus sonhos. Como uma lembrança boa, um sopro de vida. Uma peça de teatro. A minha alma é um eterno reflexo daquilo que meus olhos esquecem de enxergar. Nela cabe um broche, uma agulha de tricô, um trecho de carta, um adeus que não soube se perder, um grito no espaço, um tiro no escuro, um amor indivisivel e quieto. Cinza. Cabe a vida que eu tento viver. Cabe um pensamento seu, o mundo como ele é, estranho do jeito que é. Surgido do incompreensivel e tão simples de sê-lo. Eu rabisco desenhos de galáxias distantes, no ato mecânico (e mágico) de criar arte. Onde nada se perde, nem mesmo na destruição. Eu sou o arquiteto da minha própria destruição, e o engenheiro da minha chance de luz. O meu espírito é tão forte, que resiste aos impulsos e às tentações do mundo, a vida e a morte diariamente. No momento do sono simulo a minha morte, e renasço todos os dias pela manhã. A minha alma é tão frágil, onde ponho tudo a perder, como se eu estivesse num casino e apostasse todas as fichas num jogo que já perdi. O que sobra do amor são só retalhos. Só retalhos.

Suspiro

Suspiro. Sorriso. Sensualidade. Sacanagem. Sacrilégio. Sacrifício. Saliência. Sorvete. Serviço. Sino. Suruba. Shoes. Sabonete. Sombra. Subitamente. Saudável. Simples. Sadismo. Saga. Satélite. Salvação. Saude. Sabre. Seios. Soutien. Saia. Strogonoff. Stalin. Sibéria. Suíça. Salgado. Síria. Surf. Samba. Soldado. Sultão. Sótão. Selvagem. Só. Sal. Sapiência. Sabedoria. Saci. Sertão. Sapo. Silêncio. Sítio. Sexo. Selva. Sátira. Sucrilhos. Santidade. Sem. Sentido. Sobre. Sucos. Sabores. Sabugos. Site. Sofia. Suélen. Sérgio. Solange. Sabrina. Sávio. Selma. Serena. Seth. Samira. Saldo. Sirene. Sério. Sopa. Suspiro.

Azul

As filas não andam, elas só se modificam. Não falo só de pessoas, falo também de razões e sentimentos. Inevitável o efeito do mar, sobre quem sabe captar a energia que ele tem para nos dar. As ondas sempre trazem o que se espera, mas nunca levam o que se deixou. A água não era límpida, bastante turva, deveras. Areia escura e morna. Águas de côco e caipirinhas. O sol arde forte no céu, enquanto o bronze se instala na pele. UV extremo, não estamos nem aí. Se tudo der errado, botamos a culpa na melanina. Coitadinha. Gente estranha no quiosque. Red Hot Chili Peppers e The Smiths, até um dueto maluco começar a cantar baboseiras e músicas sem melodia alguma. É preciso saber lidar, mas não se misturar. Feito água e óleo, bicicletas e automóveis se misturam na avenida de pedra e resquícios de areia. As nuvens aos poucos excluem a visão das montanhas, e os barcos de pescadores ancoraram nas ilhas. Vou-me embora para Paraty, para para para ali. Para ti. Literaturas e casas de séculos passados.

Sussurros no escuro

Burrice a minha achar que agindo diferente eu vá conseguir resultados diferentes. Não depende só de mim, e que culpa tenho eu, se as pessoas agem iguais umas as outras. Eu sempre tenho a esperança de que algo vai ser diferente, porém, tudo acaba sempre igual. Fico com a metade que deveria ser de uma garota, a garota que eu sempre desejo, mas nunca posso ter. Não sei dizer se o amor desistiu de mim ou se fui eu que desisti do amor. Competem. Demoro a perceber que mudanças sutis de comportamento revelam segredos desagradáveis, e eu sempre descubro segredos que eu não deveria. Demoro a perceber a falta que faz uma mensagem de bom dia, ou uma foto enviada quando menos se espera. Esta é a palavra chave de tudo: espera. A gente espera, por menor que seja, uma atitude de alguém que mude nosso dia para sempre, que nos faça olhar para tela do celular e ficar rindo à toa, a gente espera um dia de sol, um dia a menos de chuva. Por menor que seja, sempre criamos alguma expectativa, e é isso que arruina tudo. Comigo, claro, não poderia ser diferente, em vez de pedir um drink muito forte, eu tenho a mania de sempre demonstrar os sentimentos que guardo dentro de mim. Assim, as pessoas me tem na palma da mão, e se sentem a vontade para usarem e abusarem da minha boa vontade. Tive que ir a um casamento, depois de anos sem comparecer a um, para saber que amor é uma entrega ao que o destino tem para nos oferecer. São poucos o que tem a sorte de um amor tranquilo com sabor de fruta mordida. Para bom amante, meia visitinha inesperada em casa basta. Filme pornô a dois, ao vivo e em cores. Mão nas partes íntimas e gemidos intensos de prazer, enquanto tudo fica umedecido. Cada dia eu tenho mais certeza que o amor serve apenas para nos deixar paranoicos com o passar do tempo. Seu coração é um quarto vazio, e da sala você só consegue ouvir sussuros no escuro.