Pierrô à sete chaves

O momento do êxodo que tanto queriam enfim chegou, mas nunca pensaram nas consequências catastróficas que isso causaria. Partida, chegada, check-in, correria, catraca, identificação. Qual o preço de uma mudança de ares? Quatro paredes, manta de cetim, sempre a ausência de alguém que nunca chegou, devaneios, desilusões, deja vu, escapulários, misticismo e silêncio, Redemoinho de ideias, buraco negro, outra dimensão. Gosto afrodisíaco, valioso, fundamental. As coisas sempre mudam, e as pessoas não saem do lugar. Estranho, contraditório, irremediável, destino, caminhos cruzados, algo assim, que a gente lê aí nos livros. Barco na correnteza, cachoeira de memórias, grutas e escuridão. Ouro de aluvião, quinto, selo real. Algo totalmente novo, inesperado, o dia de amanhã, quem sabe? Não sabemos. Entre pierrôs e arlequins, sempre há um carnaval e um caminho..

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s